Moto Viagem 2011 – BR/UY/AR

Dae pessoal esse é o relato da viagem que realizei agora em julho, eu e minha namorada fomos até Bariloche na Argentina em uma viagem de moto show de bola.

Roteiro

  1. Curitiba/PR-BR – Caxias do Sul/RS-BR
  2. Caxias do Sul/RS-BR – Pelotas/RS-BR
  3. Pelotas/RS-BR – Montevidéu/UY
  4. Montevidéu/UY – Buenos Aires/AR
  5. Buenos Aires/AR – Buenos Aires/AR
  6. Buenos Aires/AR – Santa Rosa/AR
  7. Santa Rosa/AR – Neuquén/AR
  8. Neuquén/AR – Bariloche/AR
  9. Bariloche/AR – Bariloche/AR
  10. Bariloche/AR – Bariloche/AR
  11. Bariloche/AR – Neuquén/AR
  12. Neuquén/AR – Mendoza/AR
  13. Mendoza/AR – Córdoba/AR
  14. Córdoba/AR – Uruguaiana/RS-BR
  15. Uruguaiana/RS-BR –  Curitiba/PR-BR

Moto

A moto que utilizamos foi uma Yamaha YS250 Fazer 2012, ela está equipada com uma bolha esportiva e um baú Givi Simply 45L, também para viagem compramos um par de alforges esportivos e um alforge para o tanque e intalei um carregador veicular(tipo acendedor de cigarros) para ligar o GPS.

Pantera

Pantera

A moto como um todo foi excelente, conseguíamos viajar com médias de velocidade entre 110-130km/h mesmo com carga total(Eu+Mi+Bagagens). Sobre o consumo é interessante que a moto andando com o cabo enrolado, uma velocidade constante entre 125-130km/h fazia 16,5 km/litro e andando com o acelerador aberto uns 70%(3/4 volta), velocidade entre 105-115km/h fazia 22km/litro. A troca de óleo foi realizada com 4000km rodados. O pneu traseiro não aguentou e voltou careca e quadrado para casa rsrs, o dianteiro ainda esta como novo, a relação vai longe ainda também pois lubrificamos a corrente durante toda a viagem.

Sobre conforto, realizamos a viagem na boa o cansaço é normal em uma viagem de moto, senti falta de mais motor pois na Argentina e no Uruguai a maioria das rodovias têm retas intermináveis então um motor 600cc seria o ideal pois conseguiríamos andar numa boa na velocidade de cruzeiro 130km/h – 150km/h, na Argentina e Uruguai tem muitas rodovias com limite de velocidade de 130km/h.

Retas Intermináveis

Retas Intermináveis

Sobre os equipamentos tenho algumas considerações:

  • A bolha foi uma ótima aquisição, faz muita diferença e da mais conforto na viagem pois corta bem o vento.
  • Os alforges fizeram muita diferença, deu pra carregar muita coisa.
  • O alforge do tanque(prende com imãs) deixou algumas marcas na pintura da moto, recomendo colar adesivos ou proteção quando for usar alforge de tanque.
  • Os alforges laterais também deixaram marcas na pintura das carenagens, recomendo usar afastador de alforges.
  • Recomendo instalar cavalete central na moto, na hora de lubrificar a corrente faz toda a diferença.
  • Recomento levar o máximo de ferramentas possíveis pois você pode precisar.
  • Precisamos trocar apenas uma lâmpada do farol, levamos 2 lampadas reservas para o farol e 4 reservas para os piscas.
  • Uma lanterna é muito importante para reparos rápidos ou mesmo se precisar fazer algo na moto a noite.

Equipamentos de proteção

Na viagem usamos roupas de cordura da Texx e capacetes também da Texx, foram os seguintes:

  • Jaqueta Texx New Falcon
  • Calça Texx Tour
  • Bota Texx WP Storm
  • Jaqueta Texx New Venus
  • Calça Texx Fly
  • Capacete Texx Mercúrio Double Vision
  • Capacete Texx Silver Eagle

Sobre as roupas não temos reclamações, apenas a calça da Michele incomodou devido a proteção no joelho, que devido à perna ficar muito dobrada aperta o joelho. As roupas protegem muito do vento e do frio além de serem ótimos equipamentos do proteção para o caso de quedas. Só é chato na hora de colocar e tirar, 30min rsrs.

Documentos Obrigatórios

  • RG
  • Carteira Internacional de Vacinação(Para o Uruguai)
  • Documento da Moto
  • Seguro Carta Verde

Bagagem

  • Roupas(Não vou especificar pois vai de cada um rsrs)
  • Ferramentas para a moto
  • Cordas e aranha para fixar as bagagens
  • Lanterna com dínamo
  • Lubrificante para corrente
  • Lâmpadas reservas
  • 2 Reparadores de pneus
  • GPS (Muito importante)
  • Itens de primeiros socorros
  • Flanela (item muito importante pois nos postos argentinos e uruguaios eles não ligam se a gasolina espirra na moto rsrs)
  • Itens de higiene pessoal
  • Papel Higiênico
  • Garrafa com aguá
  • Câmera fotográfica
  • Carregadores (celular, câmera,etc)
  • Benjamin/Tê, muito útil pois as tomadas podem não ser compatíveis com alguns carregaores
  • PenDrive ou cartão de memória reserva (para o caso de problema no cartão de memoria da maquina)
  • Balaclava
  • Óculos de sol
  • Se for no inverno calçados quentes, os pés e mãos são os que mais sofrem com o vento e o frio
  • Álcool Gel para as mãos

Custos Totais (Valores aproximados)

Os custos da viagem para duas pessoas(eu e a Mi) sem contar presentes e gastos pessoais foram:

  • Alimentação R$ 750,00
  • Combustivel R$ 1.050,00
  • Hotéis R$ 1.800,00
  • Pedágios R$ 25,00

Resumo

A viagem como um todo foi espetacular, paisagens incríveis, conhecemos costumes diferentes, pessoas diferentes, culinária (muito) diferente e incrementamos nosso vocabulário espanhol rsrs.

Não tivemos nenhum problema com a policia, os policiais foram sempre muito prestativos e corretos nas fiscalizações existentes nas rodovias argentinas e uruguaias. É importante atentar para os documentos obrigatórios, em nenhum momento precisamos apresentar documentos nas fiscalizações, apenas fomos questionados sobre de onde estávamos vindo e para onde iriamos, mas é bom estar com tudo em ordem para evitar problemas.

É importante realizar os procedimentos aduaneiros ao entrar e ao sair dos países visitados.

Sobre pedágios na Argentina e no Uruguai motos não pagam, precisamos pagar em apenas uma praça de pedágio saindo de Buenos Aires  e outra saindo de Santa Fé/AR indo em direção a cidade de Parana/AR.

O transito nas cidades grandes(Buenos Aires, Montevidéu, etc) é bem caótico, os motoristas não respeitam muito uns aos outros então é comum levar fechadas e não ter seu espaço na via respeitado. Uma coisa que chamou atenção é que na Argentina em muitas cidades os motociclistas não usam capacetes e a policia não fiscaliza este tipo de coisa pelo jeito. Na Argentina tambem as motos ficam estacionadas na calçada, os motociclistas sobem com as motos nas calçadas e amarram em postes, grades e no que estiver disponivel rsrs.

Estacionamento Motos

Estacionamento Motos

Transito

Trânsito

[]s

Artigos Relacionados:

21 comentários em “Moto Viagem 2011 – BR/UY/AR

  • Parabens! tenho uma shadow 600 e pretendo fazer esta viagem em março 2012 junto com mais un colega, até mais, abraço, felicidade e até mais…

  • Muito legal Alcir, recomendo a viagem e com toda certeza você vai gostar e vai ter muitas histórias pra contar! Minha próxima vai ser para o Chile em 2013.

  • Poxa eu li todo seu relato da viagem, realmente incrível (gostei do roteiro), mas só cliquei na foto por causa do saco amarrado em cima do seu bauleto, heuhuhhuehhuehehueheheueuhe muito bom seu relato de viagem. parabéns.

  • E ai Jean Muito show essa viagem ai sua. Tambem tenho uma fazer 2012 porem (roxa) pretendo fazer uma viagem dessas com minha esposa. Somos de Joinville se for possivel queria poder ir até Curitiba conhecer voce e sua namorada, como motociclista vc deve saber como é dificil achar casais para ter amizades e fazer viagems de moto assim.
    Aguardo seu contato meu e mail é fabinhuualemao@gmail.com ou pode ligar tambem 47 – 91200130.
    Obrigado e felicidades para vc e sua namorada.

  • Manolo, parabens pela viagem, eu tenho uma Fazer 2011 250, e tenho receio de fazer grandes viagens como esta.

    Este post me encorajou. Vamos ver se tomo coragem… rs

  • “(…) em nenhum momento precisamos apresentar documentos nas fiscalizações, apenas fomos questionados sobre de onde estávamos vindo e para onde iriamos (…)”

    quero ver se fosse preto. duvido que os policiais não te parariam com mais frequencia e mandariam abrir alforges e tudo mais.

  • Olá, li seu texto e achei muito bom e interessante. Gostaria que me respondesse sobre o conforto da moto em estrada/calçamento como a moto se comportou? Obrigado e felicidades!

    • Bom dia Dilson, a moto se comporta muito bem nas estradas, vc consegue manter uma velocidade de cruzeiro de 130km/hr com garupa. Para ser sincero não é exatamente a viagem mais confortável do mundo, até porque a moto é uma 250cc, digamos que de 0 a 10 para o conforto a moto ganhe um 7,5, o que ajuda muito é a bolha e um cavelete central.

  • jean por favor me fala onde consigo uma bolha para minha fazer so de sao paulo e nao encontro parabens pela viagen dentro de alguns dias estarei no sul vou de sp para serra do rio do rastro sua moto me chamou atencao pela bolha abraco william macedo

    • E ai William blz ? A bolha eu comprei pelo mercado livre, com o pessoal da Acriparts, vale a pena é uma ótima aquisição para longas viagens e até mesmo para o dia-a-dia.

  • Jean parabéns pela sua viagem gostei muito do seu roteiro de viagem
    eu gostaria de saber qual foi a quilometragem feita nesta viagem. dês de já muito obrigado.

  • Olá Jean, primeiramente meus parabéns pela viagem, pois não é uma viagem simples como muitos estão acostumados…estou impressionado, sou de Belo Horizonte – MG, tenho muita vontade de realizar esse mesmo trajeto, também tenho uma YS250 Fazer 2012, gostaria de saber como que a moto se portou durante a viagem, foi necessário remendar o pneu alguma vez? você rodava em média quantos km direto, parava pra descansar a cada quantos km? (pois levando namorada fica desgastante tanto para o piloto quanto para a garupa também).

    • Fala André blz ? A moto foi super bem, por ser nova fui despreocupado de problemas. Pneu voltou quadrado mas não precisou de remendos. Rodávamos em média 500Km por dia, parávamos pra esticar as pernas e almoçar apenas, não tinha uma kilometragem exata, era quando estavamos cançados mesmo ou para tirar fotos rsrs. Vale a pena a viagem.

  • Muito boa sua viajem, acho muito bacana e interessante grandes viagens em motos pequenas, muito mais q em motos grandes, pois a aventura é maior.. mas em relação ao seu comentario q sua fazer consegue ”manter velocidade de cruzeiro de 130 km/h” isso não procede, acho q vc quis dizer q ela consegue viajar á esta velocidade constante. a velocidade de cruzeiro de um veículo é medida da seguinte forma: divide a velocidade máxima do veiculo por 3 partes, pega duas partes, ou seja; 2 terços, e esta é a velocidade de cruzeiro..supondo q a velocidade máxima da fazer é de 140 km/h, e divindo por 3 = 46.6 ..portanto pegando duas partes 2x 46.6 = 93 .. ou seja; a velocidade de cruzeiro da fazer é
    93 km/h .. até é decepcionante, mas é esta a realidade.. e o q é realmente a velocidade de cruzeiro?? é a velocidade do veículo em q vc roda sem q ele esteja acima de sua capacidade normal, e a velocidade ideal de cada veiculo..claro q ninguem vai rodar a esta velocidade, nem mesmo em uma Titan 150, mas dai é outra historia.
    att, abraços

  • show sua história de viagem bixxx…confesso que aprendi um pouco com seu depoimento. parabéns!
    tenho um projeto de fazer o mesmo.
    abrazz

  • Jean, primeiramente quero te parabenizar pela viagem/aventura (mesmo que tardio), pois curti muito.
    Moro em Petrópolis-RJ, e acabei de adquirir uma Fazer 250 0km, e pretendo fazer algumas viagens de curta e média distancia, sempre com minha esposa. Gostaria de algumas dicas e cuidados, tendo em vista sua grande experiência com a fazer 250. Tenho algumas dúvidas sobre cuidados com corrente, e sua periodicidade com lubrificação e ajustes.
    Obs.: não pretendo instalar alforges laterais, apenas um bagageiro + bauleto Givi de 45 litros (já instalados) e pra frente, adquirir uma pequena mala de tanque.
    Desde já agradeço pela atenção e ajuda. Grande abraço e fica na paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *